terça-feira, setembro 27

Da Estupidez Humana


Quarta Lei Fundamental da Estupidez Humana segundo Carlo Cipolla:



8 comentários:

  1. Concordo absolutamente, Fá! "Diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és"...
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  2. Boa tarde, a estupidez é relativa aos olhos de cada pessoa, como vamos nós separar a estupidez da não estupidez?.
    Bom fim de semana,
    AG

    ResponderEliminar
  3. Ai a estupidez!
    Faz tantos estragos!
    Brisas doces *

    ResponderEliminar
  4. Aí a estupidez! Um mal que alastra mas, engraçado​, julgamos que os outros é que são estúpidos.
    Kis:=}

    (Obrigada pela visita)

    ResponderEliminar
  5. "A estupidez é a incapacidade de distinguir o essencial do acessório, a incapacidade de estabelecer uma prioridade, de perceber o que está em causa num problema".
    in: http://www.publico.pt/sup-publica/jornal/trindade-santos-para-que-serve--a-filosofia-21887655

    ResponderEliminar
  6. Definir a estupidez, se é k se pode definir, é mto difícil e não pode ser um ato taxativo, contudo para mim é aquilo que não é agradável, que remete ao "ostracismo", enfim, que emburrece, k delimita.

    Estive lendo toda a entrevista do filósofo ao jornal Público. Bem interessante, mas os filósofos veem tudo de maneira diferente. Ele está no Brasil já há uns anos, mas Lisboa é a sua cidade.

    Beijos e bom domingo!

    ResponderEliminar
  7. Conheço muita gente estúpida associada a não estúpidos. Porque nos dias que correm a estupidez leva vantagem. Agora, a estupidez é aplaudida e a não estupidez, ignorada.
    Se a estupidez for rica, se tiver bom nome, se tiver cargos...todos lhe fazem vênia.

    Bfs

    ResponderEliminar
  8. Nao tenho nada contra os débeis mentais, mas tudo contra os mentirosos,
    trapaceiros, falsos, invejosos, grosseiros, soberbos...
    E eles abundam mesmo pela internet.
    Beijinhos
    ~~~~~

    ResponderEliminar

«Em cada um de nós há um segredo, uma paisagem interior com planícies invioláveis, vales de silêncio e paraísos secretos.»
(Antoine de Saint-Exupéry)