sexta-feira, julho 18

Saber esperar


Era uma menina, igualzinha às outras meninas da sua idade. Com uma diferença: era uma papoila rubra, que se transformara numa linda princesa cheia de sonhos.

A menina todos os dias colocava a sua coroa de princesinha e sentava-se, durante algum tempo, num canto do seu quarto, alimentando o espírito de devaneios, ao mesmo tempo que esperava pacientemente pela materialização de uma quimera. Por debaixo daquela coroa pequenina, brilhava uma farta cabeleira negra, sob a qual habitava um cérebro idealista e rebelde. No castiçal tremeluziam as suas estrelinhas do êxito, emanando aromas enviados pelas ninfas do lago azul.

E sentia-se muito bem assim, respirando aquela paz que lhe vinha engrinaldar as aspirações. Tinha desejos e projectos ambiciosos. E esperava. Esperava com a certeza de os ter já alcançado. Esperava-os com o direito de quem trabalha para a sua concretização.

Entre os seus anseios contava-se o de que um príncipe viesse complementar a sua ventura. Um príncipe, nem que fosse encantado. E esperava. Esperava apesar de, até agora, apenas lhe terem surgido sapos. A sua rebeldia não via neles encantamento algum. Via apenas sapos. Sapos daqueles que ela muito bem sabia que nadavam com as rãs na poçada do canavial. Bem os ouvia lá coaxar todos à noite.

No entanto nada lhe fazia perder a esperança de alcançar todos os seus objectivos. Trabalhava para isso. E esperava. Esperava pacientemente. Ela tinha a certeza de que a paciência é a sabedoria do saber esperar.

Esta é a história que escrevi para responder ao desafio da Cátia, sobre a pintura da minha publicação - Partilha de uma muito querida (4).

15 comentários:

  1. E escreveste muito bem. Mais vale esperar do que aturar sapos, na verdade! :)**

    ResponderEliminar
  2. Quantas vezes por não temos paciência,
    por não saber esperar o momento certo,
    não esperamos pelo príncipe, e a historia
    acaba por não ter um bom fim
    beijos

    ResponderEliminar
  3. Linda Amiga:
    Um texto narrado com o coração e as suas mãos mágicas de ouro.
    VOCÊ já é uma princesinha de sonho.
    Encantada pela maravilhosa expressão doce do que diz, pensa e sonha.
    Muito terna, sensível e deslumbrante.
    Quando, hesitante, diz repleta de ternura:
    "...No entanto nada lhe fazia perder a esperança de alcançar todos os seus objectivos. Trabalhava para isso. E esperava. Esperava pacientemente. Ela tinha a certeza de que a paciência é a sabedoria do saber esperar..."

    Sabe, todos os princípes a adorariam, de certeza.
    Não espere. Não há necessidade. Ele virá na altura certa e no momento certo.
    Beijinhos amigos de respeito e elevada estima.
    Sempre a admirá-la e a considerá-la

    pena

    Adorei, amiga!

    ResponderEliminar
  4. Desafio interessante!

    Estória bonita!

    Saravá!

    Bjs!

    ResponderEliminar
  5. Minha querida,

    Obrigada por esta estoria, obrigada pela divulgação do desafio... Foi cá uma aventura, nao? Mas com resultados inesperados...

    Espero que este seja apenas um pequeno exercicio para as muitas estorias que irás escrever, e apenas mais uma divulgaçao dos mts quadros conhecidos da Joana.

    Beijinho mt grande para ti amiga querida

    ResponderEliminar
  6. Isabela,
    Obrigada!
    Bjs


    Cátia,
    Eu é que tenho a agradecer-te, amiga linda, por esta iniciativa inesperada, mas de fabulosos resultados. Que estórias lindas aconteceram!
    Gostei muito do desafio. Gostei muito de participar. Gostei ainda mais de teres dado o relevo que deste ao quadro da "minha muito querida"! Nunca irei esquecer o teu gesto lindo!

    Um beijo enorme

    ResponderEliminar
  7. :$

    Não sei se com minhas palavras consigos exprimir realmente o que quero lhes passar, mais na realidade não sei agir sob pressaão de forma alguma, e que saber esperar é a melhor forma para começar algum relacionamento com alguém.
    Parabéns lindo texto.

    Beijos á todos!
    =*

    ResponderEliminar
  8. Olá Jaqueline!
    Acho que saber esperar também é não deixar de batalhar pelo que se quer e gosta, com a paciência necessária a dar tempo ao tempo da concretização.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. fa menor obrigado pela sua visita!
    Para além de convivermos com demasiados sapos, há ainda a necessidade de mudar um pouco, digo eu, as altíssimas expectativas que alimentamos enquanto esperamos, ou procuramos, o nosso principe ENCANTADO!
    Não são os principes que têm a missão de nos fazer felizes... somos nós que temos de conquistar esse estado de boa vontade e positivismo e aprender a conservar essa atitude apesar de todos os sapos e contrariedades que vamos encontrando, não é fácil mas é mais realista, não?

    ResponderEliminar
  10. a vida é esperar;esperar é naõ ter certeza nunca, sinal do bom senso da humildade

    ResponderEliminar
  11. a vida é um corredor imenso de esperas e dúvidas. e de apenas uma certeza:a morte

    ResponderEliminar
  12. Fá,
    Será que poderei concluir que esse Príncipe apareceu há 29 anos?
    Bjs.

    ResponderEliminar
  13. Art,
    pode ter o seu quê de verdade...
    digamos que podem ser várias realidades à mistura com uma boa dose de ficção.
    :)
    Bjos

    ResponderEliminar
  14. Um sapo pode-se revelar um bom amigo, um bom conselheiro! Do menos bom, há que que retirar o melhor que tem.
    Amor de amigo também é preciso !

    Gostei!!!

    ResponderEliminar
  15. Gostei de ler a tua hstória, amiga Fá.
    Beijinhos
    ~~~

    ResponderEliminar

«Em cada um de nós há um segredo, uma paisagem interior com planícies invioláveis, vales de silêncio e paraísos secretos.»
(Antoine de Saint-Exupéry)