O meu Voo

quarta-feira

(in)completamente em tempo


OREMOS! 

E ali vai um padre atrás de oito andores, remoendo festas e feiras, e outras dores.

Sabores de romarias, festejos, santinhos populares; ou mesmo que sejam comunhões, sermões e outras pregações; são sempre, e por todo o lado, das mesmas sinfonias, alegrias, calores, ventanias, rumores e alergias de certos paroquianos e foliões, que acabam por deixar amargos de bocas a quem a isso se expõe. 

Ora bem… oremos bem. Que este mundo precisa de muitas, repetidas e fervorosas orações. Oremos, pois, sem desfalecer, que ainda há muito caminho a percorrer.


(Fá menor, in: Confessionário dum Padre, desafio em Junho de 2013, que só agora me lembrei de guardar aqui.)


3 Comments:

Existe Sempre Um Lugar said...

Olá, não sei orar, desconheço as orações nem os mais desprotegidos necessitam delas, faço parte de uma organização que luta contra os egoísta sem escrúpulos da direita, que tem como finalidade o elitismo para marcar a superioridade em via e mesmo depois de morrerem, é o caso deste ultimo explorador dos trabalhadores ligado à cortiça, teve o descaradamente de declarar que desconhecia uma conta bancaria em nome dele na Suíça de 500 milhões.
Feliz fim de semana,
AG

Pedrasnuas said...

Acredito no poder da oração, papaguear ladainhas por repetição, não tem valor nem profundidade. Saibamos "falar" com Deus e Ele escutará o que pretendemos transmitir! Há muita falta de fé, anda tudo voltado para o "terreno" ___Ter, ter, ter .... a própria igreja tem dado muito poucos exemplos de verdadeira fé!

Pedrasnuas said...

Falemos com Deus, sem receios ou medos! De coração aberto e a boca cheia de verdade...

Beijinhos