O meu Voo

quarta-feira

(in)completamente em tempo


OREMOS! 

E ali vai um padre atrás de oito andores, remoendo festas e feiras, e outras dores.

Sabores de romarias, festejos, santinhos populares; ou mesmo que sejam comunhões, sermões e outras pregações; são sempre, e por todo o lado, das mesmas sinfonias, alegrias, calores, ventanias, rumores e alergias de certos paroquianos e foliões, que acabam por deixar amargos de bocas a quem a isso se expõe. 

Ora bem… oremos bem. Que este mundo precisa de muitas, repetidas e fervorosas orações. Oremos, pois, sem desfalecer, que ainda há muito caminho a percorrer.


(Fá menor, in: Confessionário dum Padre, desafio em Junho de 2013, que só agora me lembrei de guardar aqui.)